Road to Rio registra 6 overtimes em um único dia; veja todos

Placares longos foram a tônica da terceira rodada na Europa e na América do Norte

O ESL: Road to Rio entrou na reta final para as regiões da Europa e da América do Norte, nessa terça-feira (28/04/2020), e os times parecem ter entendido que há cada vez menos margem para erro se quiserem brigar por vaga no Major do Rio de Janeiro, em novembro. Em oito séries disputadas nos dois continentes, houve incríveis seis prorrogações (overtime). Ao todo, as equipes disputaram 56 rounds extras por conta desses prolongamentos, o que impôs um desafio físico e mental a mais a todos os jogadores.

Esse número de OT’s em uma única rodada é expressivo. Para se ter uma ideia, juntando as duas rodadas anteriores dos classificatórios norte-americanos e europeus, com 29 jogos ao todo, foram disputados um total de nove prorrogações, seis no Velho Continente e três na América. Portanto essa terça-feira foi atípica, sem contar nas zebras, que passearam em todos os servidores.

Veja todos os overtime disputados nessa terça-feira:

NiP 2 x 1 ENCE

22 x 19 (Train)
17 x 19 (Overpass)

16 x 5 (Inferno)

Após vencer no mapa de escolha da ENCE, a NiP parece ter pensado que a série estava ganha ao passar para seu pick, Overpass. Os oponentes finlandeses não só mostraram resistência e força para se manter na partida como venceram. Pena, para eles, que de pouco adiantou, já que no terceiro mapa a NiP passou o carro e assegurou a terceira vitória em três rodadas, mantendo a liderança do grupo A, empatada em pontos com os franceses da Heretics.

Dignitas 2 x 1 fnatic

17 x 19 (Train)
25 x 22 (Overpass)

16 x 14 (Dust2)

Quando a Dignitas reuniu a velha formação da NiP, com Christopher “GeT_RiGhT”, Patrik “f0rest” e outros nomes que fizeram história no começo do CS:GO, criou-se certa expectativa, mas uma carga bem maior de desconfiança. A formação não vinha dando liga sob a tag dos Ninjas e, em partes, se separou por desempenhos fracos. Eis que, de casa nova, eles sacodem a poeira e vencem apenas a mais recente líder do ranking mundial, fnatic, com requintes de crueldade, já que superaram duas prorrogações. O mundo não gira, ele capota.

Heretics 2 x 1 Complexity

16 x 7 (Nuke)
14 x 16 (Mirage)
22 x 18 (Dust2)

Uma série de pouco apelo aparente no grupo A da Road to Rio europeia terminou como uma guerra na Dust2. Os franceses da Heretics, que surpreendem ao se manterem invictos na chave e com boas chances de playoffs, mostraram uma evolução de jogo absurda em relação ao começo do ano e, especialmente, ao ano passado. O overtime no último mapa foi a cereja do bolo de uma grande atuação e, no contexto maior, de uma grande campanha. Pior para a Complexity, que parece não encaixar nunca.

Cloud9 2 x 1 Evil Geniuses

19 x 17 (Dust2)
8 x 16 (Nuke)
16 x 9 (Overpass)

O último duelo com prorrogação do dia foi o que teve, certamente, o resultado mais inesperado. A Cloud9 de agora é a ATK de ontem, um time que mal conseguiu sair da MDL norte-americana, espécie de série B da Pro League, e que tem o hábito de complicar jogos supostamente mais tranquilos. Prova disso foi a derrota para a formação da Triumph na estreia do Road to Rio norte-americano. Eles parecem ter entendido que acabou a brincadeira e impuseram uma dura derrota à Evil Geniuses, que se mostra cada dia mais perdida, especialmente por seus drafts ruins. Deixar Overpass de mapa decisivo diante de um time que costuma usá-lo como escolha principal? Que ideia horrível!