Relembre todas as conquistas de zews como coach

O coach Wilton “zews”, que esteve por trás dos dois títulos de Major que o Brasil ostenta no Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), surpreendeu a comunidade do FPS da Valve ao anunciar desligamento da MIBR, na noite da última quarta-feira (25/03). De volta à equipe em dezembro de 2018, ele não conseguiu ajudar Gabriel “FalleN” e cia a retomar o caminho de títulos.

Em uma carta de despedida, publicada em suas redes sociais, zews alegou que a organização sofre de problemas complexos e se culpou por não ter conseguido mudar a cultura dos jogadores, algo que o ex-técnico do time, o sérvio Janko “YNk” , também havia falado em sua saída.

É o pior momento da vitoriosa carreira de zews, que tem um grande histórico como membro de comissão técnica dos times e uma relação próxima com a comunidade de CS:GO. Abaixo, revisite todos os títulos da carreira do agora ex-treinador da MIBR:

MAX5 INVITATIONAL (01/2016)

Um dos primeiros grandes torneios presenciais de CS:GO realizados no Brasil, em janeiro de 2016, e o primeiro grande teste para a zews, que havia chegado à Luminosity Gaming junto a Epitácio “TACO” e Lincoln “fnx” há cerca de dois meses. A line, que se tornaria lendária no cenário brasileiro em abril daquele ano com a conquista do Major de Columbus, varreu os oponentes na Mega Arena X5, em São Paulo, e foi campeã sem grandes dificuldades, embolsando R$ 16 mil.

Uma curiosidade é que o torneio contou com nove times brasileiros, dentre eles a Games Academy de João “felps” e Gustavo “SHOOWTIME” e a Keyd Stars de Vito “kNgV-” e Jean “mch”, e uma equipe argentina, a No Tenemos Nada de Roberto “Reversive” e Guillermo “guishorro”.

Primeiro título de zews e da LG veio diante dos compatriotas da Keyd (TheEnemy)

Major de Columbus (04/2016)

A LG vinha em franca ascensão no início da temporada com a chegada de TACO, fnx e zews no lugar de Ricardo “Boltz”, Lucas “steel” e Renato “nak”, mas nem o brasileiro mais otimista poderia esperar o título no primeiro Major do ano.

Com direito a jogadas lendárias como a “awp voadora” de Marcelo “coldzera” na semifinal diante da Team Liquid, a equipe comandada por zews venceu e convenceu. Até hoje, ao lado do segundo Major que viria em julho daquele mesmo ano, é o maior título de sua carreira.

DreamHack Open Austin  (06/2016)

Depois do título no Major de Columbus, a equipe estava tão embalada que um mês após a conquista jogou a DH em solo norte-americano e venceu sem qualquer dificuldade. Zews comandou a equipe por seis mapas fechados de maneira limpa

Pro League S3 Finals (05/2016)

Menos de uma semana após varrer a DH Austin, veio o desafio de verdade para zews e seus comandados. As finais da Pro League impuseram muitas dificuldades à LG, especialmente por causa do afinado time da G2, que contava com a promessa belga Adil “ScreaM” e os sólidos Cédric “RpK” e Richard “shox” . Apesar de tudo, no final deu Brasil.

Major de Cologne (07/2016)

O segundo major do ano teve zews e cia sob nova tag, SK Gaming, e com expectativa renovada. Os brazucas não decepcionaram e com uma campanha muito consistente, marcada por dificuldades apenas na semi-final diante da Virtus.pro, veio o segundo e último Major para a carreira de zelão, como é chamado pelos amigos.

cs_summit 2 (02/2018)

Depois de triunfar no segundo Major da carreira, zews se transferiu para a Team Liquid e ajudou a construir a base do time que, em 2019, alcançou o top 1 no ranking da HLTV.org por algumas semanas. Até o primeiro título com a org holandesa na cs_summit 2, porém, foram quase dois anos de frustrações e piadas da comunidade sobre a equipe “chocar” em partidas decisivas.

SuperNova Malta (11/2018)

O torneio maltês foi a última vez que um time comandado por zews chegou ao primeiro lugar do pódio. A Liquid não teve muitas dificuldades para dominar o torneio, em que era o principal seed, e embolsou US$ 150 mil pelo triunfo na final diante dos compatriotas da extinta NRG.