paiN, no gain: org vive mês de frustração em todos os Esports

Eliminação ainda na 1ª fase do CBLoL foi a cereja no bolo de uma sequência de dificuldades

Fundada em 2010 e autointitulada “maior organização de Esports da América Latina”, como diz seu perfil no Twitter, a paiN Gaming vive um abril de 2020 para esquecer. Nesse domingo (26/04/2020), a maior expectativa e investimento da temporada, o CBLoL, terminou ainda na primeira fase para a empresa, que contratou dois jogadores coreanos e um treinador na tentativa de reerguer o caneco após cinco anos na fila.

Houve ainda derrotas decisivas no CS:GO masculino, destruição dos times de CS:GO feminino e DoTA 2, lanterna na liga de Clash Royale… Como diria Milton Leite, “que fase!”. Veja abaixo o detalhamento de cada Esport:

Mais um fracasso no CBLoL

Antes do início da temporada 2020, a paiN Gaming anunciou a saída de jogadores identificados com a equipe, como Pedro “Matsukaze”, para dar lugar a duas contratações coreanas, o caçador Yoon “SeongHwan” e o suporte Kim “Key”, e ao retorno dos ídolos Felipe “brTT” e Gabriel “Kami”. A expectativa era enorme, mas a realidade se impôs de maneira cruel.

Alguns resultados até vieram e, em certo ponto, a paiN foi vice-líder da competição com alguns bons jogos. A atuação do conjunto, porém, jamais convenceu e a pressão aumentou, especialmente sobre os jogadores coreanos, perdidos no rift e que atraíram bastante antipatia ao atribuir os desempenhos ruins à dificuldade de se adaptar ao baixo nível local.

Nas duas semanas derradeiras do CBLoL, o time venceu um único jogo em seis e terminou eliminado ainda na primeira fase do campeonato. Frustração foi pouco para definir o momento.

Sem Major e sem time

No CS:GO, que trouxe muitas alegrias à org em 2019, o ano foi cruel. Devido à pandemia do novo coronavírus, o time masculino, capitaneado por Vinícius “PKL”, não conseguiu se mudar para a América do Norte para competir e, tendo ficado no Brasil, falhou duas vezes em conseguir vaga nos classificatórios para o Major do Rio de Janeiro. O time feminino, antes soberano no cenário nacional, foi desfeito e apenas Juliana “showliana” permaneceu, mas como streamer.

A primeira tentativa de ir ao Major para os homens aconteceu durante o classificatório fechado da América do Sul, no início de março. A campanha começou com uma derrota de virada para os argentinos da Isurus, uma vitória na repescagem diante da Sharks e se encerrou com revés para a Team oNe, acabando com chances de ir ao Minor. Com a pandemia do novo coronavírus e a desistência da oNe do Road to Rio sulamericano, veio uma segunda chance, desperdiçada após revés para a Imperial.

O time feminino já não vinha bem após derrotas importantes em torneios presenciais em 2019 e, sem muitas explicações, jogadoras como Gabriela “GaBi” e Anna “annaEX” foram sendo liberadas até a equipe ruir completamente.

A má fase atingiu times de CS:GO (Divulgação)

Vai e vem no DoTA

Houve ainda destruição do time de DoTA 2, Esport em que a paiN tem uma das maiores tradições da América Latina. O time já havia sofrido uma debandada no fim de 2019, quando o capitão Rodrigo “Lelis” desabafou e acusou os outros jogadores de terem sido egoístas na decisão de deixar a equipe após derrotas.

O elenco foi remontado para 2020 e apesar de um início promissor, com classificação para o Major de Leipzig, organizado pela DreamLeague, a sequência foi péssima. O time contava com o retorno de grandes nomes do cenário nacional como Danylo Kingrd, mas mesmo assim não deslanchou.

Em março, a equipe foi eliminada do No Major No Problem para o time Academy da Infamous e para os bolivianos da Omega Gaming e, em seguida, após brigas internas, caíram na Aorus League para o Real Deal, um time semi-amador. Em 9 de abril, o anúncio do fim, que parecia inevitável, enfim aconteceu.

Até no CR…

A liga internacional de Clash Royale de abril, a No Tilt Special Edition, que acontece em formato diferenciado devido à pandemia do novo coronavírus, conta com apenas a paiN como representante brasileira e os resultados recentes não são animadores. Após quatro jogos, a equipe segura a lanterna da competição ao lado da Team Galaxy.

Ainda não é momento para se desolar porque existe chão pela frente e a line liderada pelo campeão mundial Sergio “Surg TS” é promissora. Talvez o segredo seja esperar abril terminar de uma vez para virar a página.

Free Fire (quase) salva

A line da paiN no Battle Royale já havia conquistado resultados importantes, a exemplo da classificação para a Copa América, e chegou com expectativa à Liga Brasileira de Free Fire (LBFF). O quarto lugar no fim do torneio não foi ruim, mas até nesse caminho houve percalços. Os jogadores Vagner “VgzinNnn” e o astro Everto “UBiTa” foram punidos pela Garena por comportamentos considerados inadequados, este último com direito a expulsão da paiN após ameaçar a namorada de um rival.

O quarto lugar terminou de bom tom, mas um detalhe fundamental talvez ajude a explicar: aconteceu em março. Abril de 2020 definitivamente ficará marcado como um mês sombrio para a org, que precisa se reerguer.