FURIA já venceu a MIBR em todos os mapas, menos os instabans

Em cinco séries, as promessas do CS:GO brasileiro foram muito superiores aos veteranos

A FURIA venceu novamente a MIBR nesse domingo (03/05/2020) e não apenas terminou invicta a fase de grupos do ESL: Road to Rio da América do Norte como eliminou os compatriotas do torneio classificatório para o Major do Rio de Janeiro, em novembro. Foi a quinta vitória furiosa em cinco jogos no histórico entre os times, com confrontos em todos os mapas da atual rotação menos os instabans de cada um, Dust2 e Nuke.

A superioridade da FURIA cresceu a cada confronto. No início, ainda com Lucas “LUCAS1” no lado da MIBR, cada duelo era parelho e as séries estavam acirradas. Nos últimos dois, o time de Kaike “KASCERATO” aumentou a distância técnica entre as equipes e impôs dois 2 a 0 sem muita chance para contestação. Veja o histórico:

FURIA 2 x 1 MIBR (Pro League S10)

16 x 5 (Overpass)
11 x 16 (Train)
16 x 14 (Mirage)

Na etapa norte-americana da última Pro League, em 11 de outubro de 2019, houve o primeiro confronto entre os times e foi, até o momento, o duelo mais parelho entre os brasileiros. A expectativa era enorme para o primeiro embate brazuca e se mostrou acertada.

A FURIA surpreendeu com um first pick de Overpass – todos esperavam Inferno ou Mirage – e fez valer a escolha, esmagando os compatriotas por 16 a 5. A MIBR deu o troco no mapa seguinte, Train, com um 16 a 11 sem grandes sustos. Na Mirage, que ambos utilizavam como principal pick na época, uma defesa heróica do bomb B por Vinícius “VINI” definiu o confronto em 16 a 14 no mapa e 2 a 1 na série.

Clássico brasileiro costuma guardar grandes emoções (ESL)

FURIA 2 x 0 MIBR (cs_summit 5)

16 x 9 (Mirage)
19 x 17 (Inferno)

O segundo duelo entre os times já teve menos hype e foi, até o momento, a série menos interessante entre os brasileiros. Convidados para o último torneio de 2019, ambas as equipes tiveram mudanças na escalação. A FURIA teve de usar o coach Nicholas “guerri” no lugar de Henrique “HEN1”, enquanto a MIBR estreava o argentino Ignacio “meyern” .

Em formato md2, portanto com possibilidade de empate, os furiosos não tiraram o pé em momento algum. Após uma vitória muito suada no próprio pick, Inferno, por 19 a 17, mesmo jogando com guerri a vitória na Mirage, por 16 a 9, para fechar a série foi tranquila.

FURIA 2 x 1 MIBR (Pro League S11)

16 x 4 (Train)
6 x 16 (Inferno)
16 x 8 (Mirage)

Em 30 de março, os dois principais times do Brasil fizeram o terceiro confronto e a FURIA pediu música no Fantásico. Triunfo consistente por 2 a 1 com direito a massacre por 16 a 4 no mapa de escolha da MIBR, Train.

O time de Gabriel “FalleN” e cia esboçou reação devolvendo o espanco e fazendo 16 a 6 no pick da FURIA, Inferno, mas, novamente na Mirage, a série fechou com um 16 a 8 após um lado Contra-terrorista perfeito dos furiosos. O MVP da série, com sobras, foi Kaike “KSCERATO”, responsável por 61 kills nos três mapas.

FURIA 2 x 0 MIBR (Pro League S11)

16 x 4 (Vertigo)
16 x 14 (Mirage)

Nos playoffs da Pro League, o reencontro entre os brasileiros mostrou uma FURIA preparada para o map pool da MIBR. No pick adversário, os furiosos aplicaram um impiedoso 16 a 4 e só passaram sufoco no mapa mais jogado entre os times, Mirage, que já reservou bons duelos e jogadas incríveis de ambos os lados.

FURIA 2 x 0 MIBR (Road to Rio)

16 x 14 (Inferno)
16 x 10 (Vertigo)

O confronto mais recente entre os dois melhores times brasileiros, no último domingo (03/05/2020), mostrou uma MIBR mais ligada e bem preparada, mas uma FURIA simplesmente calibrada demais para os oponentes. Na Inferno, tudo conspirava para Fallen e cia vencerem, mas rounds tirados da cartola, como um clutch 1v3 de Henrique “HEN1” no pistol do lato TR e um ‘eco’ certeiro da FURIA durante o 14 a 14 definiram o mapa.

Na Vertigo, a FURIA demonstrou superioridade técnica e não teve muitas dificuldades para fechar o maoa e a série, e garantir a 1º colocação do grupo B, que lhe rendeu uma passagem direta para as semifinais do torneio.