Coldzera revela mapa que odeia e melhor jogada da carreira

Em resposta a fãs, jogador da FaZe relembrou era de ouro com a SK

Marcelo “coldzera” tem se aproximado de seus seguidores nas redes sociais durante a pandemia respondendo a perguntas feitas por eles pelo Instagram. No último domingo (19/07/2020), o ex-melhor jogador de CS:GO do mundo revelou, por exemplo, o mapa que menos gosta e seu momento individual favorito.

Questionado por um fã qual mapa do cenário competitivo ele tiraria da rotação atual, cold foi incisivo: “Vertigo, odeio esse mapa”. Não à toa, o time atual do brasileiro, a FaZe Clan, costuma banir Vertigo na maioria das partidas disputadas.

The man, the myth…

Outros questionamentos tocaram mais o ego do jogador. Um usuário perguntou se ele preferia a versão do coldzera de 2016 ou de 2017 e, uma vez mais, o craque não titubeou. “A de 2017! Em 2016 a gente estava começando ainda e acho que tivemos bastante sorte em alguns campeonatos”, admitiu. “Em 2017, todos que ganhamos foi por merecimento”, cravou.

Por fim, uma das perguntas que ele mais recebe e novamente respondeu foi sobre seu momento individual favorito. O instante eleito por ele próprio foi o clutch 1v4 diante da mousesports na DreamHack Open Summer 2017, quando ainda atuava ao lado de Gabriel “FalleN”, Epitácio “TACO”, Fernando “fer” e João “felps” pela SK Gaming. “Esse foi quente!”, reforçou, orgulhoso.

O lance em questão (veja abaixo) foi o que eternizou a narração do caster britânico Vince “Metuz”. “The man, the myth, the beast” ficou marcado na história do CS:GO brasileiro e mundial. Na partida em questão, que valia uma vaga nas semifinais do torneio, a SK Gaming perdia por 3 a 0 no próprio mapa de escolha, Mirage, quando cold tirou a jogada da cartola. O impacto foi tão grande sobre os adversário que os brasileiros venceram o 1º tempo por 11 a 4. Como cereja do bolo, foram campeões do evento na sequência.